Comandante do 12º BPM de Piripiri em nota faz esclarecimento sobre nomeação de delegado

O comandante do 12º BPM, Ten Cel. Erisvaldo Viana, esclarece em nota sobre a posse do novo delegado regional dos detetives particulares em Piripiri, Paulo Andrade.

Leia a nota:

Devido a grande polêmica que a reportagem veiculada no portal Repórter 10 obteve , venho tentar esclarecer alguns pontos : Sobre o fato em questão, recebemos uma determinação do Comandante do Comando do Policiamento do Litoral Meio Norte, Cel Sousa, que recebêssemos o inspetor Abilio, apenas para ele apresentar os detetives particulares, que compunham uma associação denominada CEDAIC/PI, a qual é uma Associação particular de detetives, cuja a denominação interna da associação para os investigadores, é Delegado . Não existe remuneração paga pelo Estado, para essa pessoa que foi mencionado na reportagem . Essa denominação de Delegado, existe não só pra policiais civis e federais, até porque o termo Delegado não é restrito às polícias, haja vista, existir na própria OAB o cargo de Delegado da caapi, Delegado sindical, Delegado de federações de futebol. Por conseguinte, não existe nomeação/ posse para a pessoa de Paulo Andrade junto à Polícia Civil no cargo de Delegado , uma vez que todos nós sabemos, que isso, só seria possível, mediante concurso público, não existindo pois, pagamento pelo Estado para tal cargo. Destarte fizemos apenas a gentileza de receber o Sr. Abílio, em uma visita amistosa.

O comandante do 12º BPM, Ten Cel. Erisvaldo Viana, esclarece em nota sobre a posse do novo delegado regional dos detetives particulares em Piripiri, Paulo Andrade.

Leia a nota:

Devido a grande polêmica que a reportagem veiculada no portal Repórter 10 obteve , venho tentar esclarecer alguns pontos : Sobre o fato em questão, recebemos uma determinação do Comandante do Comando do Policiamento do Litoral Meio Norte, Cel Sousa, que recebêssemos o inspetor Abilio, apenas para ele apresentar os detetives particulares, que compunham uma associação denominada CEDAIC/PI, a qual é uma Associação particular de detetives, cuja a denominação interna da associação para os investigadores, é Delegado . Não existe remuneração paga pelo Estado, para essa pessoa que foi mencionado na reportagem . Essa denominação de Delegado, existe não só pra policiais civis e federais, até porque o termo Delegado não é restrito às polícias, haja vista, existir na própria OAB o cargo de Delegado da caapi, Delegado sindical, Delegado de federações de futebol. Por conseguinte, não existe nomeação/ posse para a pessoa de Paulo Andrade junto à Polícia Civil no cargo de Delegado , uma vez que todos nós sabemos, que isso, só seria possível, mediante concurso público, não existindo pois, pagamento pelo Estado para tal cargo. Destarte fizemos apenas a gentileza de receber o Sr. Abílio, em uma visita amistosa.